Melhoramentos portuários em disputa: a cidade da Paraíba entre dois portos (1864-1908)

  • Yuri Simonini Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palabras clave: melhoramentos portuários, meio ambiente, envirotech, Paraíba/Brasil

Resumen

O Brasil começou uma política de desenvolvimento de sua infraestrutura na segunda metade do século XIX, ao apoiar a construção das ferrovias e os melhoramentos portuários. A província, posteriormente
estado, da Paraíba se aproveitou desse momento para modernizar o porto de sua capital, mas o governo local e os engenheiros se envolveram num intenso debate sobre a melhor localização: se na área urbana
ou em Cabedelo, a 17 km de distância. Inicialmente, os serviços se centraram em Cabedelo, mas, na medida em que as obras avançavam, e com a transformação do rio num canal navegável, os discursos  favoráveis ao porto da capital ganharam vulto, a partir da argumentação sobre os elementos físicogeográficos circunvizinhos. Nesse sentido, compreender o processo de intervenção e o posicionamento dos discursos sobre a localização espacial do porto de Paraíba entre 1864 e 1908 é o objetivo deste artigo. Com base nos aportes teórico-metodológicos do Envirotech, analisa-se os relatórios técnicos, administrativos e governamentais, além de bibliografia pertinente. Os debates e as ações
dos atores envolvidos giraram em torno de questões relacionadas com o meio ambiente, usando-o como importante elemento para guiar suas decisões e orientar as propostas de intervenção num determinado espaço.

Biografía del autor/a

Yuri Simonini, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Bacharel e Licenciado em História (UFRN); Mestre em Arquitetura e Urbanismo (UFRN); Doutor em História (UFMG). Professor Substituto do Departamento de História da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Grupo de Pesquisa História da Cidade, do Território e do Urbanismo (HCUrb/DARQ/UFRN).

Publicado
2017-06-30